Arquivos Mensais: julho \30\UTC 2014

O Tempo da Grande Transformação e da Corrupção Geral

Leonardo Boff

Normalmente as sociedade se assentam sobre o seguinte tripé: na economia que garante a base material da vida  humana para que seja boa e decente; na política pela qual se distribui o poder e se montam as instituições que fazem funcionar a convivência social; a ética que estabelece os valores e normas que regem os comportamentos humanos para que haja justiça e paz e que se resolvam os conflitos sem recurso à violência. Geralmente a ética vem acompanhada por uma aura espiritual que responde pelo sentido último da vida e do universo, exigências sempre presentes na agenda humana.
Estas instâncias se entrelaçam numa sociedade funcional, mas sempre nesta ordem: a economia obedece a política e a política se submete àética.

Mas a partir da revolução industrial no século XIX, precisamente, a partir de 1834, a economia começou na Inglaterra a se descolar da política e a soterrar a ética. Surgiu…

Ver o post original 690 mais palavras

Dicas do Trio Música-Literatura-Filme

Cidadania & Cultura

Prezados seguidores,

acho fantástico estarmos vivendo a revolução tecnológica que permite acesso farto e barato aos três maiores prazeres individuais, que “salvam a vida”, além de carpem-die. Lembremos que “amor salva o dia, música salva a vida”!

O problema deixa de ser dificuldade de acesso e passa a ser o de conseguir dicas ou informações para desfrutar da riqueza cultural disponível. Por exemplo, achei no Spotify a fantástica cantora de músicas iidiche (língua germânica das comunidades judaicas da Europa central e oriental, baseada no alto-alemão do século XIV, com acréscimo de elementos hebraicos e eslavos; ídiche, judeo-alemão) — Chava Alberstein –, que canta na abertura do filme Free Zone (veja acima). Outra pérola que descobri é o grupo The Tiger Lillies que canta Circus Songs (leia ficha abaixo). Uma novidade, que vem da Bielorrússia, é Серебряная Свадьба. O mundo cultural é diverso!

Músicas no Spotify (US$ 6), filmes / documentários /…

Ver o post original 3.777 mais palavras

Banco Espírito Santo de Portugal: Um Caso Familiar

Cidadania & Cultura

Banco Espirito Santo SA As Vitor Bento Appointed New Chief Executive Officer

Patrick Jenkins (Financial Times apud Valor, 15/07/14) conta que a saga do Banco Espírito Santo (BES) de Portugal chama atenção para vários fatos:

  1. que os bancos da periferia da zona do euro ainda estão frágeis;
  2. que o sentimento dos investidores em relação a eles ainda pode ser volátil; e
  3. que a ajuda com dinheiro dos contribuintes a bancos com problemas não é mais palatável para os governos.

Mas as origens do idiossincrático caso do BES também oferecem uma lição mais importante:

  1. bancos de controle familiar podem ser problemáticos;
  2. mas bancos grandes e sistemicamente importantes que têm controle familiar podem ser muito problemáticos.

Ao contrário de muitos concorrentes, o maior banco de Portugal não entrou em dificuldades sérias no colapso global de 2008 – nem mesmo dois anos depois, quando a zona do euro tornou-se o ponto crítico da crise. O banco fracassou agora porque interesses complexos da grande família Espírito Santo…

Ver o post original 699 mais palavras

Operação Condor

As ameaças da Grande Transformação (II)

Leonardo Boff

Analisamos no artigo anterior, as ameaças que nos traz a transformação da economia de mercado em sociedade de mercado com a dupla injustiça que acarreta: a social e a ecológica. Agora quermos nos deter em sua incidência no âmbito da ecologia tomada em sua mais vasta acepção, no ambiental, social, mental e integral.

Constatmos um fato singular: na medida em que crescem os danos à natureza que afetam mais e mais as sociedades e a qualidade de vida, cresce simultaneamente a consciência de que, na ordem de 90%, taisdanos se tributam à atividade irresponsável e irracional dos seres humanos,mais especificamente, àquelas elites de poder econômico, político, cultural e mediático que se constituem em grandecorporações multilaterais e que assumiram por sua conta os rumos do mundo. Temos, com urgência, fazer alguma coisa que interrompa este percurso para o precipício. Como adverte a Carta da Terra: “ou fazemos uma aliança global para…

Ver o post original 691 mais palavras

As ameaças da Grande Transformação(I)

Leonardo Boff

A Grande Transformação consiste na passagem de uma economia de mercado para uma sociedade de mercado. Ou em outra formulação: de uma sociedade com comercado para uma sociedade só de mercado. Mercado sempre existiu na história da humanidade, mas nunca uma sociedade só de mercado. Quer dizer, uma sociedade que coloca a economia como o eixo estruturador único de toda a vida social, submetendo a ela a política e anulando a ética. Tudo é vendável, até o sagrado.

Não se trata de qualquer tipo de mercado. É o mercado que se rege pela competição e não pela cooperação. O que conta é o benefício econômico individual ou corporativo e não o bem comum de toda uma sociedade. Geralmente este benefício é alcaçado às custas da devastação da natureza e da gestação perversa de desigualdades sociais. Nesse sentido a tese de Thomas Piketty em O capital no século XXI é irrefutável.

Ver o post original 579 mais palavras

Mostra inédita da Scuderia Ferrari “Passione Rossa” chega a Curitiba

BandNews FM Curitiba

Chega nesta terça-feira (29) a Curitiba a exposição “Passione Rossa”, mostra inédita da Scuderia Ferrari. Aficionados pela marca italiana poderão conferir de perto seis carros além de objetos exclusivos Ferrari, como a válvula F2002, fotos raras, bonés originais autografados por Michael Schumacher, Fernando Alonso e Felipe Massa; coleções completas de miniaturas, bandeiras, além de uma estatueta original de Enzo Ferrari.

Scuderia Ferrari Club Brasile, a responsável por trazer os itens do acervo e veículos. Durante o evento os visitantes também poderão se filiar ao clube oficial da marca no país. A exposição “Passione Rossa” começa hoje e vai até o dia 17 de agosto, no Shopping Pateo Batel, das 10h às 22h, e a entrada é gratuita.

timthumb

Ver o post original

Complexo turístico de R$ 2 bi pode ser implantado no Porto de Paranaguá

BandNews FM Curitiba

Começa na manhã desta segunda-feira (28) a audiência pública para discutir a implantação do novo complexo de turismo e convivência no Porto de Paranaguá, no litoral do estado. O evento é aberto aos interessados em conhecer o projeto, que vai ser desenvolvido em parceria com a iniciativa privada. São previstas 24 novas áreas para o setor leste do porto, atrás do terminal de contêineres. Entre elas estão o novo centro administrativo da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), quatro prédios, marina, terminal de passageiros, heliporto, hotel, restaurante, estacionamento e área de lazer com pista de caminhada e ciclovia. O diretor presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino, explica que o custo da obra deve ser de R$ 2 bilhões e que as obras devem durar pelo menos três anos.

O projeto arquitetônico do novo complexo de turismo e convivência do Porto de Paranaguá foi concluído há cerca de um mês…

Ver o post original 83 mais palavras

Semana de Mobilização contra o tráfico de pessoas começa nesta segunda-feira

BandNews FM Curitiba

Foto: Reprodução/Facebook Foto: Reprodução/Facebook

Começa nesta segunda-feira (28), em Curitiba, a Semana de Mobilização contra o tráfico de pessoas, que só neste ano já vitimou cerca de 250 pessoas no Paraná. A maioria dos casos é de exploração sexual, de mulheres, crianças e adolescentes. O trabalho escravo e o tráfico humano para remoção de órgãos também serão debatidos. A Coordenadora do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas no Estado do Paraná, Stella Maris Machado Natal, fala da dificuldade em conseguir números exatos desse tipo de crime.

Durante a semana acontece também a divulgação da Campanha Coração Azul, iniciativa global com o objetivo de conscientizar a população sobre o assunto e inspirar líderes para buscar soluções que acabem com o Tráfico de Pessoas. Os Escritórios das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes e os países que aderiram à Campanha Coração Azul realizarão ações durante toda a semana, em diversos cidades do mundo. …

Ver o post original 147 mais palavras

ECONOMIA – Setor Externo – Nota para a Imprensa Bacen – 25/07/2014

NOTA PARA A IMPRENSA – 25.7.2014

I – Balanço de pagamentos – Junho de 2014

O balanço de pagamentos apresentou superavit de US$3,8 bilhões em junho. As transações correntes foram deficitárias em US$3,3 bilhões no mês, acumulando US$81,2 bilhões em doze meses, equivalentes a 3,58% do PIB. Na conta financeira, destacaram-se os ingressos líquidos de investimentos estrangeiros em carteira e diretos (IED), na ordem, US$6,7 bilhões e US$3,9 bilhões.

A conta de serviços registrou deficit de US$3,4 bilhões em junho, 4,5% acima do valor registrado no mesmo mês de 2013. O gasto líquido com viagens internacionais alcançou US$1,2 bilhão, recuo de 17,3%, relativamente ao verificado no mesmo mês de 2013. O resultado decorreu de elevações de 76% nos gastos de viajantes estrangeiros ao Brasil, e de 4,9% nos gastos de turistas brasileiros em viagens ao exterior. As despesas líquidas com transportes somaram US$702 milhões em junho, decréscimo de 11% comparativamente ao mesmo mês de 2013. Dentre os demais itens da conta de serviços, destacaram-se as elevações nas despesas líquidas de aluguel de equipamentos, 69%, e de computação e informações, 32,3%; e a redução nas despesas líquidas em royalties e licenças, 7%, na mesma base de comparação.

As remessas líquidas de renda para o exterior somaram US$2,5 bilhões no mês, 24% inferiores ao resultado de junho de 2013. As remessas líquidas de lucros e dividendos somaram US$1,7 bilhão, recuo de 23,8% na comparação a igual período de 2013. As despesas líquidas de juros alcançaram US$808 milhões, redução de 24,9% no período comparativo. As saídas líquidas de renda de investimento direto atingiram US$1,7 bilhão, ante US$2,1 bilhões registrado no mês equivalente de 2013. As remessas líquidas de renda de investimentos em carteira totalizaram US$202 milhões, diminuição de 26,3% na mesma base de comparação, enquanto as de renda de outros investimentos atingiram US$602 milhões, recuo de 33,3%.

No mês, as transferências unilaterais registram ingressos líquidos de US$128 milhões, 53,3% inferiores ao resultado de junho de 2013, US$275 milhões. O ingresso bruto de manutenção de residentes somou US$157 milhões, redução de 9% no mesmo período comparativo.

Os investimentos brasileiros diretos no exterior registraram retornos líquidos de US$719 milhões em junho. A aquisição líquida de participação no capital de empresas no exterior somou US$539 milhões, enquanto os ingressos líquidos provenientes de empréstimos intercompanhias somaram US$1,3 bilhão.

O ingresso líquido de IED atingiu US$3,9 bilhões no mês, compreendendo US$3,5 bilhões de ingressos líquidos em participação no capital de empresas no País e US$387 milhões referentes a desembolsos líquidos de empréstimos intercompanhias. Nos doze meses encerrados em junho, os ingressos líquidos de IED somaram US$63,3 bilhões, equivalentes a 2,79% do PIB.

Os investimentos estrangeiros em carteira apresentaram entradas líquidas de US$6,7 bilhões em junho, compostos por ingressos líquidos de US$1,6 bilhão em ações de empresas brasileiras e de US$5,1 bilhões em títulos de renda fixa. Os investimentos em títulos de renda fixa negociados no País somaram ingressos líquidos de US$4 bilhões. Os bônus públicos negociados no exterior apresentaram amortizações líquidas de US$13 milhões. Os ingressos líquidos de notes e commercial papers atingiram US$1,1 bilhão no mês, com desembolsos de US$1,5 bilhão e amortizações de US$422 milhões. As operações em títulos de renda fixa de curto prazo negociados no exterior apresentaram desembolsos de US$31 milhões.

Os outros investimentos brasileiros registraram aplicações líquidas no exterior de US$4,3 bilhões em junho, compreendendo, dentre outros, redução de US$2,1 bilhões no saldo de depósitos mantidos por bancos brasileiros no exterior, e expansão de US$1,2 bilhão nos depósitos de empresas não financeiras. As concessões líquidas de empréstimos e créditos comerciais de curto prazo ao exterior somaram US$5,1 bilhões no mês.

Os outros investimentos estrangeiros no País apresentaram ingressos líquidos de US$88 milhões em junho. O crédito comercial de fornecedores registrou amortizações líquidas de US$684 milhões, concentrados em operações de curto prazo. Os empréstimos de médio e longo prazos somaram ingressos líquidos de US$598 milhões, com destaques para as modalidades empréstimo direto, US$1,5 bilhão, e organismos, US$302 milhões.

II – Reservas internacionais

As reservas internacionais no conceito liquidez totalizaram US$380,5 bilhões em junho, aumento de US$1,4 bilhão em relação ao mês anterior. Em junho, o estoque de linhas com recompra atingiu US$7 bilhões, recuo de US$3,4 bilhões em relação à posição de maio. A receita de remuneração das reservas somou US$289 milhões. As variações por preços reduziram o estoque em US$28 milhões, enquanto as variações por paridades provocaram elevação de US$1 bilhão. No conceito caixa, o estoque de reservas atingiu US$373,5 bilhões, incremento de US$4,8 bilhões em relação ao mês anterior.

III – Dívida externa

A posição da dívida externa bruta estimada para junho totalizou US$330,2 bilhões, acréscimo de US$10,1 bilhões em relação ao estoque de março de 2014. A dívida externa estimada de longo prazo atingiu US$290,6 bilhões, elevação de US$8,5 bilhões, enquanto o estoque de curto prazo somou US$39,6 bilhões, aumento de US$1,5 bilhão em relação à posição do primeiro trimestre de 2014.

A variação da dívida externa de longo prazo no período é explicada por ingressos líquidos de empréstimos de longo prazo tomados pelos setores financeiro e não financeiro, respectivamente US$1,7 bilhão e US$3,2 bilhões, e colocações de títulos de dívida de longo prazo efetuadas pelo governo, US$1,3 bilhão, e setor financeiro, US$976 milhões. A variação por paridades aumentou o estoque em US$353 milhões.

Atendimento: 0800 979 2345 | Deficiente auditivo/fala: 0800 642 2345 | Fale conosco | Ajuda
Política de privacidade | Política de acessibilidade | © Banco Central do Brasil – Todos os direitos reservados