Arquivos Mensais: março \17\UTC 2015

Reinventando o atraso

Blog da Boitempo

15 03 16 Ruy BragaPor Ruy Braga e Elísio Estanque.

Após um período de intensas lutas sociais seguidas à queda da monarquia, em 1910, Portugal foi marcado, durante o século XX, pela dolorosa experiência de uma longa ditadura. Apoiados num Estado corporativo fortemente repressivo e que contou com a ajuda de uma igreja ressentida com as expropriações promovidas pela república, os impulsos de modernidade e de industrialização que o país viveu tiveram sempre por detrás a tutela protecionista do regime autoritário. O processo de formação e recomposição das classes sociais e, em especial, a emergência do operariado industrial e semi-urbano da região de Lisboa-Setúbal constituem um fenômeno no qual se enlaçam não apenas a trajetória e o destino históricos de Portugal nos últimos cem anos, como também as antinomias presentes de todo um subcontinente em crise.

Rumo à margem sul de Lisboa…

A despeito de alguns esforços pioneiros na construção naval ocorridos durante o período…

Ver o post original 2.714 mais palavras

Anúncios

Sobre Prometheus e os existencialismos

Marcos Cordiolli

Por Marcos Cordiolli

Eu havia ficado preso a uma poltrona de cinema por duas vezes na minha vida. A primeira, em 1976, quando assisti Tubarão de Steven Spielberg no Cine Peduti em Maringá (PR) (que precisei de um pequeno subterfúgio para disfarçar a idade e conseguir passar pela portaria). A segunda em algum dia de janeiro de 1980 num cinema em Joinville (SC) com uma amiga, a Isabela (que quase quebrou a minha mão de tanto apertá-la), quando assisti Alien, o oitavo passageiro, de Ridley Scott.

Hoje, no decorrer do meu quinquagésimo ano de vida, sentindo uma emoção de garoto, fui novamente e completamente tomado pela adrenalina assistir a Prometheus, do mesmo Ridley Scott no Cinemark de Botafogo (tentei comprar ingressos para o Lagoon e o Imax da Barra, mas não consegui…).

Em Alien… a nave Nostromus, título de um romance de Joseph Conrad (o mesmo autor de Coração nas…

Ver o post original 1.231 mais palavras