Sobre Prometheus e os existencialismos

Marcos Cordiolli

Por Marcos Cordiolli

Eu havia ficado preso a uma poltrona de cinema por duas vezes na minha vida. A primeira, em 1976, quando assisti Tubarão de Steven Spielberg no Cine Peduti em Maringá (PR) (que precisei de um pequeno subterfúgio para disfarçar a idade e conseguir passar pela portaria). A segunda em algum dia de janeiro de 1980 num cinema em Joinville (SC) com uma amiga, a Isabela (que quase quebrou a minha mão de tanto apertá-la), quando assisti Alien, o oitavo passageiro, de Ridley Scott.

Hoje, no decorrer do meu quinquagésimo ano de vida, sentindo uma emoção de garoto, fui novamente e completamente tomado pela adrenalina assistir a Prometheus, do mesmo Ridley Scott no Cinemark de Botafogo (tentei comprar ingressos para o Lagoon e o Imax da Barra, mas não consegui…).

Em Alien… a nave Nostromus, título de um romance de Joseph Conrad (o mesmo autor de Coração nas…

Ver o post original 1.231 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: