Arquivos Mensais: setembro \30\UTC 2016

CBN Criança na Plateia: concerto apresenta a música de Villa-Lobos para as crianças

Dia das Crianças Camerata Antiqua de Curitiba

Ouça as dicas de peças, shows, contações de história e brincadeiras para os pequenos em Curitiba com a jornalista Paula Martins, autora do blog Criança na Plateia:

Ver o post original

Anúncios

Assista ao vídeo “HISTÓRIA DO BRASIL – BORIS FAUSTO” no YouTube

HISTÓRIA DO BRASIL – BORIS FAUSTO: https://www.youtube.com/playlist?list=PLcdAn0cbRxI5dFUxpv1kdETzpX_9AJfTb

Recordar é viver: Em 2009, Lula propôs tornar corrupção crime hediondo, mas a Câmara não aceitou

bloglimpinhoecheiroso

PSDB_Quadrilha01 Se a lei tivesse sido aprovada, esses estariam presos.

Via Estadão online em 9/12/2009

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou e envia hoje ao Congresso um projeto de lei que caracteriza como hediondos os crimes de corrupção passiva, corrupção ativa, peculato e concussão. “Pode ser que não resolva, mas pelo menos a gente começa a passar para a sociedade (a ideia de) que não há impunidade. Está muito forte na cabeça das pessoas que o cara que rouba um pão vai preso e que o que rouba R$1 milhão não vai preso”, disse o presidente, durante discurso na reunião realizada em um hotel de Brasília pela Controladoria Geral da União (CGU) e pela Organização das Nações Unidas (ONU) para marcar o Dia Internacional contra a Corrupção.

O presidente anunciou que levará ao G-20 (países ricos e principais emergentes) sua proposta de aumento das penas a serem aplicadas aos…

Ver o post original 352 mais palavras

Golpe de 1964 e golpe de 2016: a mesma natureza de classe

Leonardo Boff

Entre o golpe de 1964 e o golpe de 2016 há uma conaturalidade estrutural. Ambos são golpe de classe, dos donos do dinheiro e do poder: o primeiro usa os militares, o outro o parlamento. Os meios são diferentes mas o resultado é o mesmo: um golpe com a ruptura democrática e violação da sobernia popular.

Vejamos o golpe de 1964. René Armand Dreifuss em sua monumental tese na Universidade de Glasglow: “1964: a conquista do Estado, ação política, poder e golpe de classe” (Vozes 1981), um livro de 814 páginas das quais 326 são de documentos originais, deixou claro: “o que houve no Brasil não foi um golpe militar, mas um golpe de classe com uso da força militar”(p.397).
O assalto ao poder de Estado foi tramado pelo general Golbery de Couto e Silva utilizando-se de quatro instituições que difundiam a ideia do golpe: o Instituto de Pesquisas e…

Ver o post original 766 mais palavras